Avengers

[Cantinho do Pirralho] As Valquírias da Marvel

dezembro 04, 2017



Ao contrário do que o comum dos leitores possa pensar, o Universo Marvel teve mais que uma Valkryie. A primeira surgiu nas páginas de Avengers #83 (Vol 1), corria o ano de 1970.

Liderando as Lady Liberators, que apenas recentemente regressariam, esta Valkryie enfrenta os Avengers, revelando mais tarde ser a vilã asgardiana Enchantress em disfarce. 


Uma segunda Valkryie será apresentada na figura da abastada Samantha Parringthon, que fez  a sua primeira aparição nas páginas de Incredible Hulk #142 (Vol 1, de 1972). Hospedeira do poder da Valkkryie, Samantha era uma serva da Enchantress e travou um acesso combate com o Hulk a mando desta.

Curiosamente, esta versão da Valkryie seria trazida de volta, como heroína, nas páginas do segundo volume dos Defenders (em 2001). Aqui ela combateria uma falsa Valkryie criada pelo deus helénico Pluto e pela feiticeira Lorelei. Samantha faria ainda frente à Order, que nada mais eram que os quatro membros originais dos Defenders transformados em vilões. Infelizmente Samantha estaria entre as muitas vítimas do Ragnarok asgardiano. 


Após estes dois test drive na posição de vilã, uma nova e mais heróica Valkryie será apresentada nas páginas da non-team Defenders (Defenders #4, Vol 1), três anos mais tarde. Brunnhilde partilhava da mesma aparência física da Valkryie da Enchantress, mas era bastante mais poderosa físicamente, lutando de igual para igual com Namor e até mesmo o Hulk.


A antiga líder das Valkyrior de Asgard, Brunnhilde foi castigada por Odin a viver uma vida de mortal, após ter desafiado o pai celeste relativamente ao destino final de Siegmund. Colocada em animação suspensa, Brunnhilde será desperta por Thor (também ele castigado por Odin a viver uma vida mortal, neste caso como Siegfried).

Após o padecimento de Thor, Brunnhilde irá segui-lo ao atirar-se sobre a pira funerária onde o primeiro repousava. Odin irá salvar ambos, devolvendo-lhes a imortalidade, o seu estatuto como deuses e apagando-lhes qualquer memória acerca do sucedido (visto em Thor #299-300, Vol 1, de 1980). Foi contudo graças a essa vulnerabilidade temporária que Brunnhilde acabou capturada pela Enchantress, que se serviu da forma física da Valkryie para os seus próprios propósitos nefastos. 


Curiosamente será a Enchantress que irá restaurar Brunnhilde, unindo-a à mortal enlouquecida Barbara Norriss. Será esta mescla que se unirá aos Defenders, tornando-se num dos seus membros mais populares, combatendo inúmeros vilões, ao mesmo tempo que tentava viver a vida de Noriss na Terra. 

Brunnhilde, ao contrário da Valkyrie apresentada em Avengers #83, não lutava com uma lança, mas antes uma espada. E que espada! A Dragonfang conta-se entre as armas místicas mais potentes do Universo Marvel.


Para além disso, Brunnhilde conta ainda com o cavalo alado Aragorn, que servira anteriormente como montada do segundo Black Knight.

Eventualmente, a mente de Barbara irá despertar e esta, procurando recuperar controlo sobre o seu próprio corpo irá aliar-se ao vilão Ollerus, auxiliando-o na sua conquista de Valhalla em troca.

A batalha entre as Valkryies terá lugar nas páginas de Defenders #66-68 (Vol 1, de 1978/79) e terminará com os espírito de Barbara a ser banido pela deusa da morte, Hela, para o reino sombrio de Niffleheim.

A trágica história de Barbara teria um aparente final feliz, pois em Defenders #108 (Vol 1, de 1982), a alma da mesma irá ascender para os planos mais altos da existência. Entretanto, Brunnhilde conseguirá recuperar o seu corpo imortal graças à assistência do Doctor Strange, nessa mesma história.


Esta terceira Valkryie será membra ainda das Lady Liberators da She-Hulk, assim como dos Secret Avengers, nos quais é revelado que tem uma nova mortal que lhe serve de hospedeira na figura de Annabelle. Brunnhilde irá sucumbir à morte inúmeras vezes, perdendo a vida na batalha dos New Defenders contra o Dragon of the Moon ou durante um dos muitos Ragnaroks asgardianos. 

Ainda assim, e sendo a mais relevante das versões da personagem, Brunnhilde eventualmente regressa. Quanto a Barbara esta fará um breve comeback nas páginas de Valkryie #1 (de 1997), sendo enlouquecida pelo demónio D’Spayre e levada ao suicídio. 


De salientar que a versão da Valkryie que existia no universo Ultimate era a de Barbara. Esta Barbara é uma entusiasta por super-heróis, surgindo como membra dos Defenders e dos Ultimates. Sem poderes inicialmente, Barbara ganhará os poderes de uma deusa graças a Loki. A personagem, que surgiu em Ultimates II #6 (de 2005), seria morta precisamente por Loki cinco anos mais tarde, em Ultimates III.

Uma quinta Valkryie, Sian Bowen, será mostrada em Doctor Strange: Sorceror Supreme (Vol 1, de 1989), surgindo como parte do Dragon Circle e opondo-se a um dos piores inimigos dos Defenders, o Dragon of the Moon. Esta será todavia uma Valkryie temporária. 


A sexta e derradeira Valkryie, apelidada de Dark Valkryie será apresentada em Thor #460 (Vol 1, de 1993). Uma representação da loucura do guerreiro que assolava o deus do trovão na época, esta Valkryie tentará tornar-se real, travando um brutal combate com Odin e Thor, que a irá banir da sua mente usando o poder do Mjolnir. 


A jeito de curiosidade, temos ainda uma sétima Valkryie na figura da mutante Dani Moonstar, a.k.a Mirage dos New Mutants. O poder desta foi-lhe concedido por Hela. Dani serviu-se das suas habilidades como Valkryie em combate contra do deus da guerra, Ares, aquando do Dark Avengers vs X-Men. A primeira Valkryie foi criada por Roy Thomas e John Buscema.


Escrito por: Ivo Silva
(podem ler muito mais sobre comics, jogos e demais temas geek no blog: http://culturaeartepop.blogspot.pt/)

Também podes gostar de:

0 comentários

Muito obrigada pelo comentário! Tentarei responder em breve se houver alguma questão premente. ^-^

Beijinhos,
Pirralha